Dicas para as férias de verão com seu pet

Compartilhe

Dicas para as férias de verão com seu pet 29 de novembro de 2021

Chegou o verão e com ele as merecidas férias, mas antes de sair para viajar com seu pet ou deixa-lo em um hotelzinho temos que ter alguns cuidados para que as sonhadas férias não se transformem em pesadelo.

Vacinação

As vacinas em dia são pré-requisitos para quem vai viajar ou hospedar o pet em hotel. Além da vacina antirrábica que é obrigatória para cães e gatos, muitos hotéis exigem outras vacinas. No caso dos cães temos a polivalente (V10), vacina contra Giardiase Canina (giárdia), Vacina contra Leishmaniose, vacina contra a Tosse dos Canais (Bordetella bronchisep) entre em contato com o hotel para saber quais são exigidas.

Caso vá para alguma região endêmica para Leshimaniose ou Leptospirose converse com o médico veterinário sobre vacinas ou outros métodos preventivos como coleiras ou aplicação do medicamento Pro Heart contra verme do coração.

Para os gatos caso prefira deixar em hotel é preciso também estar com a vacinação em dia, além da antirrábica que é obrigatória. Podem ser exigidas as vacinas polivalentes (quádrupla ou quíntupla). Antes de fazer a vacinação contra Leucemia (Quíntupla) é importante realizar o exame de sorologia de FIV/FeLV para saber se o seu gato é portador da doença, principalmente nos gatos recém-adotados ou resgatados.

Cuidado com os parasitas e picadas de mosquitos

No verão aumentam a incidência de parasitas: pulgas e carrapatos, além disso temos que tomar cuidado com os mosquitos que podem transmitir doenças. Para que seu passeio não se transforme em grande problema é melhor utilizar métodos preventivo que podem ser pipetas, coleiras, medicamento orais, nesse caso, converse com o médico veterinário para definir qual método é melhor para o seu pet.

Parasitas intestinais

Estar com a vermifugação em dia é muito importante, tanto para quem vai viajar ou hospedar o pet em hotel. Fazer a vermifugação em intervalos, que variam de 3 a 6 meses e de acordo com o resultado dos exames de fezes é fundamental para manter a saúde do seu pet em dia.

Atestado de saúde para viagens nacionais

Para quem vai viajar de ônibus ou avião no território brasileiro é preciso de atestado de saúde assinado pelo médico veterinário e carteirinha de vacina atualizada. Vale conversar com o médico veterinário para orientações gerais e protocolos que são necessários para cada região do Brasil.

Viagens internacionais com cães e gatos

Para viagens internacionais, o atestado de saúde precisa obrigatoriamente ser encaminhado em conjunto com os demais documentos exigidos conforme o país de destino (devidamente preenchido e assinado por Médico Veterinário com registro válido junto ao Conselho de Medicina Veterinária) ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, onde será emitido o Certificado Veterinário Internacional (CVI).

O atestado precisa atender aos requisitos sanitários dos principais destinos internacionais (Canadá, Chile, EUA, Mercosul, México e União Europeia), contudo o período de validade e os requisitos sanitários variam conforme cada país. É responsabilidade do proprietário verificar as exigências sanitárias atualizadas junto à Embaixada, ao Consulado ou ao órgão veterinário oficial do país de destino. Exames adicionais podem ser solicitados por alguns países, como o teste sorológico contra raiva pela União Europeia. A implantação do microchip é obrigatória para a União Europeia e o tratamento antiparasitário é obrigatório para os países do Mercosul, Chile e México.

Os médicos veterinários do Pet Care podem ajuda-lo nesse processo. Lembrando dependendo para onde é a viajam é preciso se programar com bastante antecedência, pois o processo todo pode levar até 90 dias.

Dicas para quem vai viajar de carro

Transporte o animal dentro de caixas ou bolsas apropriadas no banco traseiro.
Use sempre guia e coleira no pet.
Alimente o pet três horas antes da viagem.
Animais que podem enjoar com o carro em movimento e vomitar precisam passar pelo veterinário para orientações de medicação adequada.
Nunca permita que o cachorro coloque a cabeça para fora da janela do carro.
Ofereça água em viagens com duração acima de 4 horas. Se for mais longa, é recomendado estacionar o carro em lugar seguro e levá-lo para fazer um xixi.
O pet pode ficar até 8 horas sem se alimentar, mas atenção: filhotes abaixo de 5 meses precisam de comida a cada 4 horas.
Cuidado com as altas temperaturas

Não saia para passear com o seu cachorro quando a temperatura estiver acima de 28 graus, pois ele pode sofrer hipertermia. Se for necessário, procure sair com ele em horários com temperatura mais amena, como de manhã cedinho e à noite.
Hidrate-o constantemente. Ofereça água, de preferência gelada. Caso ele se sinta cansado durante o passeio, pare imediatamente e só retorne após ele parar de ficar ofegante.
Nunca deixe o animal sozinho no carro. Ele pode morrer por hipertermia (choque térmico por calor). Deixe sempre o ar condicionado ligado.
Animais que possuem pelagem branca e pele rósea devem utilizar protetor solar nas orelhas e no focinho.
Evitar passeios em horários mais quentes do dia, para evitar a queimadura nas almofadinhas (coxins) dos cães. Preferira passeios em gramados e parques e evitar pisos asfálticos.

Caso ele fique muito ofegante, babando muito, com mucosas cinzas-azuladas ou tenha convulsões, procure imediatamente um médico veterinário.

Cuidado com piscinas

As piscinas também podem ser perigosas para cães que não sabem nadar ou que não conseguem sair de dentro da piscina por falta de escadas acessíveis e morrem afogados. Não deixe o cão sozinho em áreas com piscinas e coloque escadas que eles tenham acesso para sair de dentro da piscina.

Os veterinários da Animália podem ajudá-lo com orientações para que você possa sair de férias e viajar com tranquilidade. Agende uma consulta com um dos nossos profissionais.

Gostou do conteúdo?
Compartilhe

Leia também

BARRA DA TIJUCA

(21) 2491-2351

Saiba maissaiba mais da unidade BARRA DA TIJUCA